Life  | 13.04.2016 | Arno Duarte

Liberdade de ser quem se é
e-mail

comentarios

0
.

Você já deve ter ouvido aquelas frases prontas, do tipo: “precisamos mudar a educação para o mundo melhorar”, blá blá blá, mas você já percebeu que seus filhos, sobrinhos, primos, e até você na universidade ou pós-graduação, seguem estudando no mesmo modelo de ensino que seus avós frequentaram? Como mudar se não estamos mudando nada?

Quanto mais estudo sobre educação e comportamento humano em comunidades e organizações, mais percebo que as soluções que a sociedade precisa para superar a diversidade de crises que enfrenta, passam, necessariamente, por aprendermos desde a infância, sobre a “liberdade de ser”. O sistema educacional não permite que sejamos quem queremos ser. Ele foi concebido para formar trabalhadores que sustentem o modelo de produção de bens e serviços. Em verdade, nem bem sabemos que podemos ser diferentes do que nos ensinam. Há um desrespeito à nossa curiosidade e individualidade desde cedo.

A natureza questionadora da criança é sufocada pela formação escolar padronizada, na qual aprendermos tudo com outras pessoas, em instituições formatadas e conteúdos pré-definidos. Só precisamos seguir a rotina de ir para a escola diariamente, responder a chamada, sentar, produzir textos, cálculos, fórmulas e esperar a sirene tocar para voltarmos para casa. Assim como numa indústria, onde as pessoas batem ponto, produzem e aguardam pela sirene que avisa quando do final do turno de trabalho. Não se estuda para aprender algo novo e preenchedor. Estudamos para satisfazer o sistema, para passar no vestibular ou conseguir um emprego. Não que isso seja ruim, mas porque a essência da construção do ser e do saber acaba sendo substituída pelo modelo de vida predominante na sociedade?

Se o meu ser é construído a partir de necessidades externas e do que outros me dizem que devo aprender, passo a responsabilidade das minhas transformações internas para o que está fora de mim. Mudar, melhorar e evoluir deixa de ser responsabilidade minha e passa a ser do mundo. Se eu não tenho é porque alguém não me deu, se eu não sei é porque ninguém me ensinou, se eu não faço é porque ninguém me ajuda. Ter liberdade de ser implica também na responsabilidade de ser.

A função das instituições de ensino, desde a escola primária até as universidades, deveria ser de estimular as pessoas, de qualquer faixa etária, mas principalmente as crianças, a serem os responsáveis pelo que querem aprender. Professores seguem sendo valiosos, mas na função de facilitadores do conhecimento, guiando os menos experientes pelas descobertas e novos aprendizados.

Quando sou responsável pelo que eu quero aprender, passo a ser responsável por quem eu sou, quem eu quero ser, pelo que quero viver, por onde quero viver e pelas transformações necessárias no mundo com o qual me relaciono. O mesmo vale para organizações, onde se espera que o líder dê orientações e direção, quando na verdade cada empregado deve assumir a liberdade e responsabilidade de ser líder de sua vida profissional.

Acabar com a corrupção, terrorismo, guerras, violência, racismo, machismo e outros problemas, só acontecerá quando nos tornarmos responsáveis por nossa evolução e passarmos a usufruir da própria liberdade de ser. Vamos assumir que isso não é problema dos outros, mas nosso, como coletivo, e passaremos a cooperar em busca de soluções. Felizmente, o conceito do que é educação vem se transformando organicamente em muitas escolas, com a revisão do modelo de aprendizagem e inclusão de provocações como auto liderança, criatividade, mobilização e cooperação. Mas é preciso insistir. O processo de reconstrução deste modelo enfrentará resistências, pois tira a maioria de nós da agradável “zona de conforto” de ter o controle sobre o que é ensinado aos mais novos.

A atual geração de estudantes e futuros empreendedores quer buscar o aprendizado. Eles percebem o conhecimento como um desafio, e precisam buscar soluções para este desafio. Escolas e organizações precisam estar preparadas para dar liberdade total para estes seres naturalmente curiosos e inquietos, facilitando e estimulando o desenvolvimento pleno do potencial humano disponível.

A liberdade trará a responsabilidade e as soluções necessárias para as transformações individuais que o mundo precisa.

Termo de uso

TERMO DE AUTORIZAÇÃO DO USO E DE PUBLICAÇÃO DE TEXTOS E IMAGENS
Os termos e condições abaixo se referem à utilização dos textos e imagens disponibilizados pelo visitante/usuário ao site da ABOUT SHOES. O visitante/usuário  declara-se apto a participar de interatividades, com o objetivo de contribuir com o envio de material, como fotos, conteúdo, informações, textos, frases, entre outros, e que por iniciativa própria aceita e se responsabiliza pela autoria e originalidade do material enviado ao site de ABOUT SHOES. O visitante também se responsabiliza pela obtenção de autorização de terceiros que eventualmente seja necessária para os fins desejados, respondendo dessa forma por qualquer reivindicação que venha a ser apresentada à ABOUT SHOES, judicial ou extrajudicialmente, em relação aos direitos intelectuais e/ou direitos de imagem, ou ainda por danos morais e/ou materiais, causados a ABOUT SHOES, About Editora ou a terceiros por força da presente autorização. Assim, por ocasião do acesso ao site e do envio de informações e imagens, o visitante/ usuário autoriza e está ciente que o site de ABOUT SHOES, bem como a Revista ABOUT SHOES, poderão utilizar, em caráter irrevogável, irretratável, definitivo, gratuito, seu nome, sua imagem, bem como dos textos enviados, no site e na revista impressa, em fotos, cartazes, filmes e/ou spots, jingles e/ou vinhetas, em qualquer tipo de mídia, peças promocionais e campanhas on-line, para a divulgação do site e do Portal, no Brasil e no exterior, bem como para outros fins que desejar, sem limitação de vezes ou número de vezes, bem como o de autorizar sua utilização por terceiros, no todo ou em parte. Entre os direitos da ABOUT SHOES incluem-se, também, os de adaptação, condensação, resumo, redução, compilação e ampliação dos textos e imagens objeto deste termo. Todas as informações de usuários coletadas pela equipe de ABOUT SHOES são confidenciais, sendo intransferíveis, e somente poderão ser fornecidas a terceiros mediante orientação legal ou a terceiros, devidamente autorizados pela Revista ABOUT SHOES e About Editora. Os termos da autorização do uso e de publicação de textos e imagens entre as partes serão regidos e interpretados de acordo com as Leis da República Federativa do Brasil. O visitante/ usuário concorda expressamente em submeter-se à competência única e exclusiva dos tribunais brasileiros e, em especial, ao Foro da Comarca de Novo Hamburgo, Estado do Rio Grande do Sul, para dirimir quaisquer questões oriundas deste instrumento.

Comente esta matéria

0 comentários

Concordo com o termo de uso.
Veja mais colunas deste autor:

Life | 23.12.2016 | Arno Duarte

Ensimesmado

Life | 11.07.2016 | Arno Duarte

Seja impecável com os seus sonhos

Gestão | 08.08.2014 | Arno Duarte

Mais amor nas organizações, por favor

Creativity | 18.11.2013 | Arno Duarte

Seja o protagonista da sua criatividade

Entrevista | 21.06.2013 | Arno Duarte

Quantos anos você ainda gostaria de viver?
Assine Lateral 3 - http://www.aboutshoes.com.br/assine
Receba as últimas novidades sobre moda e design.
Copyright © Nove Editora Ltda. Todos os direitos reservados. WT Prime - Conectada à Mudanças